segunda-feira, 21 de abril de 2008

RIMANDO COM AMOR

Sem, fico perdido
com, fico confuso
com, me sinto homem
sem, me sinto inutil

Fazer o que se foi assim
Estava tão longe
Meio sozinho, preferi
Afastar ela de mim

Minha cabeça a mil por hora
Cheio de desconfianças
E só o que queria
Era ter uma aliança

Fiquei tão distante
nao percebi que te magoava
vc é tudo que eu quero
queria voltar como era antes

Falei o que não devia
Te julguei errado
Só resta te reconquistar
Minha sorte é ter o tempo ao meu lado

Pareci criança
Agi feito um estúpido
Me perdoa, me desculpa
Queria estar contigo em qualquer lugar do mundo

O amor é uma loucura
quando não se tem...
precisa
quando tem...
esnoba
e quando perde...
começa a luta.

Douglas Rosa

2 comentários:

paloma disse...

De repente dentro de seu peito
uma dor fria,dura,impossivel surgiu.
Ela pensou que foram entupidas as artérias do coração,que na veia o que corria era ácido.
Tudo doía,os ossos doiam.
Diagnosticaram: paixonite aguda.
Meu Deus,logo com ela que havia construído um cinturão de proteção.Ela sabia se proteger.Era conhecida por ter essa habilidade,sem perder a delicadeza com a vida.
Mas,a dolorosa,perversa e deliciosa paixão chegou.
Sentiu-se,então,raptada.
Raptada pelo olhar do outro
Pela boca do outro
Pela fala do outro
Pelas mãos do outro
Pelo sexo do outro
Pelo cheiro do outro
Enfim,raptada pelo que não existe
O outro.

Antonio disse...

Desculpe se não consigo escrever coisas como essas, mas esse seu texto tá uma pureza. Tem poesia aí... talvez porque emociona...