segunda-feira, 4 de setembro de 2017

TEMPO


Antes do tempo ser tempo ele já era.

Douglas Campigotto

VALENTINA?

Eu vi uma garota com coração no peito e buracos nas orelhas 
De tão bela fiquei com medo de me aproximar 
Não quis descobrir se era miragem 
Pode ser vertigem 
Valente 
Varíola 
Vacina
Ventania
Valentina 
Podia


Douglas campigotto

TENTATIVAS

Que difícil 
Ser
A gente
Sempre
Tentando 
Ser


Douglas Campigotto

ESPELHAMENTO

Espelho se a gente for ver é só a gente... se a gente enxergar somos nós mesmos

Douglas Campigotto

UTOPIA

Apagar o que não se pode esquecer.




DOUGLAS CAMPIGOTTO

SILÊNCIO

Se o silêncio fosse só silêncio nem palavra era

Douglas Campigotto

PARALISIA

Uma foto, frame ou imagem estática, revelam um milésimo de segundo da personalidade de um ser humano. Tendo o conhecimento de que, um milésimo, representa uma parte ínfima das horas vividas por qualquer ser vivo, o que leva alguém a rotular pessoas com base nos milésimos?
Somos tudo e mais um pouco, "somos quem podemos ser, somos quem queremos ser" seja como for, seja de verdade. 
Se ser louco é estar feliz, é usar a alegria como moeda de troca, é viver do próprio sonho, é realizar as coisas que satisfazem, é dar passagem ao outro, é valorizar as coisas pequenas, é resolver seus problemas sem criar problemas, é buscar ser uma pessoa melhor, é amar, é mergulhar de cabeça, é empenhar todas as forças em algo sem saber onde vai dar, se isso é ser louco, tenha certeza de eu ser um deles, porém, se você entende "louco" diferente de mim, daí possivelmente, o maluco sou eu.

Douglas Campigotto

ESSE EU

Esse eu que acaba 
Sendo eu 
Me parece algo
Que nem eu sendo 
Quem eu achei que sou
Posso ser aquilo que 
Achei que seria
E de repente 
Mente
Acaba 
Eu


Douglas Campigotto

É SEMPRE AMANHÃ

Quando a coisa era ontem
Era depois de amanhã
Agora que a coisa é hoje
Ficou pra ontem
Que amanhã é esse
Que nunca chega

Douglas Campigotto

COISAS

É tanta coisa pra ler, ouvir, sentir... é tanto... tudo não vai dar... então, tudo qaaqilo que der, que seja tudo, enquanto der.

Douglas Campigotto

SAUDADE

Saudade é coisa que dá e passa; em quem não sente.

Douglas Campigotto

BISCOITO

Em meio a conversa das mesas alheias, ouvi pedirem balsamico, reclamando do tamanho do prato, no alto de seus sapatos, no pedestal de sua empáfia, na conversa falavam de tapete persa, da fundação que não era beneficente, era da casa em Angra, feito pelas mãos de quem sangra, beneficiários da riquezas, felizes pelo exibicionismo alheio, pela competição velada entre talheres e velas, estampado nas mesas, as cores aqui são pardas, acizentadas, além do ouro e prata, apenas as colheres refletem o que há de verdade, formas distorcidas dessa gente que se acha o último pacote da bolacha.

Douglas Campigotto

RAÍZES

Tem pé de árvore e pé da árvore 
Árvore quando deita 
A gente vê 
Assola
Tem árvore que chora 
Tem chorão que não derrama lágrimas
Se derrama
Tem árvore que mancha
Tem árvore que sequer é
Tem árvore que ama
Tem árvore que chama
Árvore


Douglas Campigotto

NADA

Nada vem do nada
Nada é nada
Simples assim?

Douglas campigotto

SENTIDO

Se o pássaro fugiu, não se preocupe, gaiolas não tem sentimentos.

Douglas Campigotto

DIA DE HOJE

Hoje senti saudades 
Foi bom até que passou
Eu continuei bem
Melhor do que estava
Continuei com você 
Foi um dia lindo
Estava chovendo
Relampejando 
Típico dia cinza
Daqueles pra não sair de casa
Eu estava na rua 
Pegando chuva 
E aquela saudade
Principalmente 
Daquilo que não tivemos 
Fez meu dia
Ele estava lindo 
Que dia


Douglas Campigotto

COISAS INDISPENSÁVEIS

Não trate o essencial como dispensável, isso vai acabar matando alguém, de sede, de vergonha, de raiva... provavelmente você mesmo.

Douglas Campigotto

ONTEM, HOJE, AMANHÃ

hoje é reflexo de ontem; ensaio para o amanhã.
hoje é dia de luto, morreu ontem. Vamos cuidar porque amanhã é dia dele.
hoje agora já foi. A cada instante só nos resta o daqui a pouco, que se transforma em agora a pouco, em ontem. E pensar que era tudo amanhã.
hoje, em dia, nem parece que era ontem, na noite, logo amanhã, na manhã.

Douglas Campigotto

LACUNAS

A rotina preenche o vazio que preenche...

Douglas Campigotto

LIMITAÇÕES

Se limitar pela limitação do outro 
Amor próprio ou próprio desamor

Douglas Campigotto

MANDINGA

enquanto costurava um pequeno pedaço de tecido, repetia a mandinga, que funcionava melhor quando a area afetada era banhada em cachaça,
uma pergunta, uma resposta e os dizeres:
o que que eu coso?
carne rasgada e nervo torto!
isso mesmo eu coso, em nome de São virtuoso, se for carne rasgada que torne a sarar, se for veia encavalada que volte ao seu lugar, se for nervo torto que volte a endireitar, se for osso quebrado que volte a soldar, em nome de Deus da virgem Maria, Amém!
Te amo mãe
merthiolate nunca mais!

Douglas Campigotto

SORRISO AMARELO

no sorriso sincero 
vejo amarelo 
daltônico 
pela própria natureza

Douglas Campigotto

VALORES

Barato só será caro quando seu valor for aquém da sua cotação

Douglas Campigotto

COISA DE LOUCO

Te chamam de louco porque não entendem do outro, de só porque não sabem solidão, de fraco porque não conhecem seus traços, de chato porque não veem seus contornos rebuscados, de vilão porque desconhecem a contramão, de torto porque duvidam da sua retidão, de sujo porque confundem com chauvinismo e de louco porque não sabem, não querem, não conseguem, sequer tentam... te ler.

Douglas Campigotto

O AROMA DE VOCÊ

Você foi, você ficou, como pode? Seu cheiro está aqui, será que vc partiu inodora? 
Será que seu cheiro está em mim? Você foi com meu cheiro? Mas, se você está com meu cheiro, que cheiro sou? 
Deve ser o nosso cheiro.
É confuso, porque ainda te vejo, na mesa, na cama, no banheiro, te vi agora mesmo, com o fogão aceso sem nem cozinhar.
Não lembro de apenas uma, lembro de várias você, uma miscelânea de você. 
Amo cada uma, até daquela que assusta, ela aparece pouco e passa só para dar um oi, gosto quando ela vem, nos damos bem, às vezes assusto também. Serei eu você, um você eu, seremos quem?
Penso em você me olhando de cima pra baixo e nunca de cima em baixo, na sua alegria, na sua loucura, nos seus rompantes e devaneios, não lembro de você porque não esqueço. 
Na pochete guardei a promessa que fiz, de jogá-la fora.
Nas facetas que fomos descobrindo um do outro, estávamos nós, despidos de nós mesmos, íntegros, inteiros, obrigado por apenas sermos.


Douglas Campigotto

CALDO GROSSO

Demos caldo, da mesma panela, quando tampa a gente fecha, na carne que desfia e não tem nada de "louca", deliciosa de ver, admirar seu escracho, nas suas facetas, eu te acho, quando transa, quando dança, quando me come, tesão de ficar perto, mesmo sem fome, desejo sincero, de imã pra ferro, de sangue pra veia, aranha pra teia, próximo do teu peito gingante, perdi o eixo, a deixa, o texto, no improviso achei a gente, na alegoria que é você, o carinho da língua no queixo, as cores que te refletem em mim, um grandioso show das nossas atrações, não sei dizer se tobogã, carrossel, trapézio, bambolê ou montanha russa, me desnorteia, perdido te acho pra me perder, algo impossível, pra quem tem de bússola você.

Douglas Campigotto

SACO CHEIO

Somos todos farinha do mesmo fato

Douglas Campigotto

QUERERENDO


Se eu quisesse o que queria bastava continuar querendo

Douglas Campigoto

PASSO A PASSO

Patadas ou pegadas
Todas nos levam

Douglas Campigotto

domingo, 3 de setembro de 2017

TEMPO QUE VAI

Lá vem o tempo, esmagando por dentro, comprimindo cada segundo, macerando os instantes, triturando os momentos, devorador de ideias, estraçalhando sentimentos, esmigalhando desejos, rolo compressor, prensa da vida, o tempo não vem, é coisa só de ida.

Douglas Campigotto

PARECE QUE É AMOR

-->
Lá vem a baixinha branquela

Olhando de baixo pra cima

Nunca pra medir

No seu radar não passa nada

Me avança de quatro

Me encara

Pra depois me beijar

Francesa singela

Me lambe dos pés a cabeça

No tapete rolamos

Andamos lado a lado ao pé do ouvido

Bunda empinada peito forte olhar que engole

Suas dentadas são de quem morde para não machucar

Me arranca a roupa no sofá

Somos intensos

Ela sempre me ganha

Orgulhosa me vira as costas

Deitados no chão

Me ignora

Ficamos distantes para reencontrar

Ela sabe como fazer

Se enrosca nos meus cabelos

Nua em pele

Me arranca a roupa na cama

A gente brinca nosso segredo

Quando pede eu não resisto

Logo cedo eu cedo

Seja na rua sala quarto banheiro

No banho me observa como quem vai entrar

Me espera ao lado da toalha

Em cima do tapete

Escapando do gelado

Banho quente

No vapor presente

Não a vejo mas sei que está lá

Companheira Salomé

Cadela safada

De vulgo nome “Sassá”



DOUGLAS CAMPIGOTTO

sábado, 2 de setembro de 2017

DEFINIÇÕES

Algo que posso afirmar com certeza?
Sempre fui eu, não eu, eu... mas um alguém que sempre foi... que está indo... e acho sinceramente, que nesse quesito, somos extremamente iguais, todos nós.


DOUGLAS CAMPIGOTTO