quarta-feira, 10 de junho de 2009

SEM PLANO


Lá do alto foi caindo
Tentando se segurar no que dava
Misturando-se aos escombros
Percebeu como estava
Cheio de hematomas, rolando pela escada
Que tombo!
Ficou lá um tempo estatelado
Esperando passar
Achando que não daria em nada
Mas esqueceu
Esqueceu que a dor maior não vem da queda
Vem da ferida
As vezes nem o tempo cicatriza
Com que cara ele diria?
Levantou-se resmungando
Sentindo um peso nos ombros
Alguns barulhos fazia, enxugando as lágrimas
Cheio de dores foi se recompondo
E ficou com aquela cara
Cara de cachorro sem osso
Sabe?
Aquela cara de ator quando fica sozinho...

Douglas Campigotto

2 comentários:

Rique Loneliness disse...

Caramba, como sei bem o que é isso. Cair na própria queda. Sentir uma dor maior que a dor da queda. Estar caído mesmo estando de pé. Quase sempre isso não é uma escolha, apenas um fato. Boas palavras as suas.

Amandita A. disse...

há.Pensei que fosse só eu :Z